argumento contra a existência de vida inteligente no cone sul

Coletivo Labirinto.

Desenvolvimentos: Cartaz, programa, brochura, materiais de divulgação online.


“Argumento...” é a Parte 1 da Trilogia da Revolução do uruguaio Santiago Sangui- netti, justapondo dois caminhos criativos: o ideário contra-hegemônico revolu- cionário de esquerda e a presença basilar de elementos da cultura pop, do consu- mo e de massa, aliados ao conceito de globalização. Partindo dessas premissas e da estupidez dos diálogos entre os personagens contrapusemos a vivacidade da pop art com a violência do discurso e da ação do quarteto protagonista, expondo as figuras de Che Guevara, Margaret Thatcher, Mickey Mouse e do Capitalismo à

um ridículo quase infantil a fim de grifar o anacronismo presente no texto e nas atitudes nada inteligentes de seus representantes. As cores vibrantes da pop art e a alegria tipográfica dos cartuns são igualmente os elementos de transgressão à violência explícita dos desejos e do discurso que envolvem a trama e o desfe- cho sangrento dos protagonistas. A obra do grafiteiro britânico Banksy revelou ser o radar mais preciso onde pudemos encontrar uma lupa explícita entre a crítica e o ridículo de mãos dadas nessas relações.